Marque já a sua consulta (21) 3268-3492 (21) 99056-8583 Marque sua consulta

Cinco atitudes para deixar a memória afiada


Cinco atitudes para deixar a memória afiada
Neuropsicóloga dá dicas para manter o cérebro ativo e prevenir o esquecimento
Assim como o corpo, a mente também precisa ser estimulada para melhorar o desempenho, e exercitar o cérebro é, por tabela, afiar a memória. Segundo Celma de Albuquerque Marcelino, neuropsicóloga da Medcenter Copacabana, o órgão precisa receber a mesma importância que o restante do corpo por toda a vida. Isso porque, desde o nascimento, existe um processo de perda constante de neurônios que só é reduzido por meio de estímulos mentais que fazem parte do desenvolvimento humano, como aprender um idioma e conhecer rotas e caminhos no bairro. Quanto mais o cérebro for incentivado, mais sinapses são criadas e novas redes neurais são estabelecidas, o que previne as falhas de memória e até mesmo doenças como o Alzheimer.
“As pessoas costumam confundir esquecimento, lembrança tardia e perda de memória, mas esses três estágios fazem parte de um mesmo processo. O esquecimento – que é normal, já que nem toda informação é armazenada – pode dar origem às lembranças tardias. De forma geral, o fato de haver lembrança significa que a pessoa tem consciência e busca estratégias para lembrar. As lembranças tardias podem ser apenas um declínio normal do envelhecimento, mas é o momento ideal para prevenir perdas e aumentar a atividade cerebral. Mas se esses fatores estão afetando a rotina e se a própria pessoa desconhece essas dificuldades, ou seja, ela esquece que esqueceu algo, passa a ser considerado perda de memória”, explica Celma.
Para manter a memória afiada, preparamos cinco atitudes infalíveis para estimular os neurônios:
1. Leia mais

Ler – com atenção, sem pressa ou pensando em outros assuntos – aumenta a atividade cerebral, a empatia com as outras pessoas e o mundo ao redor, além de fortalecer a inteligência e a criatividade.
2. Fuja do convencional

Memorizar informações pode ser simples se você associar o conteúdo com termos ou até nomes que são mais familiares ou chamem mais sua atenção, assim fica mais fácil gravar.
3. Ensaie novos caminhos

Experimente fechar os olhos e, mentalmente, fazer um “passeio” imaginando suas cenas ou tente novos caminhos na hora de voltar para casa.
4. Aprenda algo novo

Estudar e aprender algo novo é uma ótima opção: pode ser um idioma ou um instrumento, por exemplo. Isso fará com que o cérebro trabalhe mais e com prazer, aumentando seu potencial.
5. Tenha uma agenda

Hoje em dia somos superestimulados por informações em todos os meios de comunicação, e absorver tanta coisa assim parece humanamente impossível, então, é necessário que o cérebro filtre o que está recebendo. Logo, o processo de esquecimento é natural, mas coisas relevantes também podem se perder por conta do excesso de informação. Sendo assim, utilize uma agenda para anotar compromissos, datas de aniversário, recados e vencimento de contas, entre outros dados. Fazer isso libera espaço na memória para que você guarde outras informações, além disso, o simples fato de pegar a caneta e escrever um compromisso já favorece o registro mental.
Conheça o Clube da Memória Medcenter

O Clube da Memória foi criado pelo time de psicólogos e neuropsicólogos da Medcenter Copacabana e reúne, semanalmente, pacientes idosos ou vítimas de doenças que tiveram sua capacidade cognitiva afetada para que, juntos, estimulem o cérebro, por meio de diversas atividades que trabalham a atenção, a concentração, o raciocínio, a linguagem e a memória.
Informações por WhatsApp: (21) 99056-8583 | telefone: (21) 3268-3492 | site: www.medcenter.com.br/marque-sua-consulta