Marque já a sua consulta (21) 3268-3492 (21) 99056-8583 Marque sua consulta

Conheça as doenças de próstata mais frequentes


Conheça as doenças de próstata mais frequentes
A prostatite e a hiperplasia compartilham características em comum, apesar das diferentes origens
Localizada abaixo da bexiga e em frente ao reto, a próstata é, talvez, o órgão masculino cuja saúde mais causa tabu entre os homens. Com três centímetros de diâmetro, a glândula é responsável pela produção do líquido prostático, que, por sua vez, tem a função de proteger os espermatozoides durante a fecundação. Como qualquer parte do corpo, a próstata está sujeita a diversas doenças e complicações que não devem ser ignoradas pelo paciente.

Quais são as doenças mais comuns da próstata?
A prostatite, como seu sufixo denuncia, é uma inflamação da próstata que ocasiona seu crescimento anormal, tornando-se um empecilho para o ato de urinar, além de causar dor e desconforto.
A hiperplasia prostática benigna (HPB) também é uma das doenças de próstata mais comuns e, assim como a prostatite, é caracterizada por um crescimento da glândula. As causas, no entanto, são diferentes.

Por que acontece?
O dr. Gabriel Campos esclarece a origem dos problemas: “A maioria dos casos de prostatite está associada a infecções bacterianas, ainda que também possa ser causada por outros agentes, como vírus e fungos. Quando o desenvolvimento da infecção é rápido, a condição é classificada como aguda. Já as crônicas são as prostatites de lenta evolução e recorrentes.”.
“Por outro lado, a hiperplasia prostática benigna não tem causas evidentes. As razões mais prováveis de seu desenvolvimento estão associadas a hormônios como a testosterona, a di-hidrotestosterona e o estrogênio, que regulam o crescimento da próstata. A glândula passa por oscilação de tamanho ao longo da vida, começando na puberdade”, esclarece o médico.

Quais os sintomas?
Os sintomas mais comuns de ambas as condições são sensação de ardência ou dor ao urinar, aumento da frequência da micção, dor nos músculos entre as pernas e durante a ejaculação, secreção na uretra e diminuição da libido.
Além disso, as prostatites agudas normalmente causam febre, mal-estar e dor abdominal, enquanto as crônicas estão comumente associadas a desconforto testicular, lombar ou do períneo.

Como diagnosticar e tratar as doenças?
O diagnóstico é realizado por meio do exame de toque retal, podendo ser somado a outros exames complementares.
O tratamento da prostatite depende de sua causa, sendo mais frequente o uso de antibióticos, no caso de infecção bacteriana. Já o tratamento para a hiperplasia prostática benigna varia de acordo com os sintomas e sua intensidade.
Bloqueadores alfa, anti-inflamatórios, massagens prostáticas e suplementos naturais estão entre as opções que podem ser receitadas pelo médico. No caso da HPB, a cirurgia também pode ser uma alternativa.

Existe prevenção?
A prostatite pode ser evitada e até mesmo tratada com a adoção de diversos hábitos saudáveis, como dietas balanceadas, a prática regular de exercícios físicos, constante hidratação e evitação de bebidas alcóolicas. Já a hiperplasia prostática benigna não pode ser prevenida.