Marque já a sua consulta (21) 3268-3492 (21) 99056-8583 Marque sua consulta

Dez coisas essenciais que você precisa saber sobre a tireoide


Dez coisas essenciais que você precisa saber sobre a tireoide
Saiba como cuidar dessa importante glândula
A tireoide é uma glândula importantíssima para o equilíbrio e a manutenção das funções do organismo. Ela é responsável pela produção de hormônios essenciais para o metabolismo corporal. Como as doenças dessa glândula podem ocorrer em pessoas de todas as idades, costumam causar muitas dúvidas na população.
Para esclarecer o tema, a dra. Rebeca XXX, endocrinologista da Medcenter Copacabana, listou dez informações essenciais sobre a tireoide.
1) Localizada na região do pescoço, a tireoide produz os hormônios T3 e T4, responsáveis por controlar o peso corporal, os batimentos cardíacos, a memória e a concentração e regular o intestino, os ciclos menstruais, o humor e até as emoções.
2) As doenças da tireoide são conhecidas como hipotireoidismo, quando há deficiência na produção hormonal, e o hipertireoidismo, nos casos de excesso
3) Quando há algum problema na tireoide, o corpo dá sinais. Observe os sintomas.
4) No hipotireoidismo, o colesterol pode aumentar, os batimentos cardíacos diminuem, o intestino deixa de funcionar regularmente, há sensação de cansaço, dores nos músculos e nas articulações e diminuição da memória.
5) Nem sempre as pessoas com baixa produção de hormônio tireoidiano vão sofrer com problemas de peso. Em alguns casos, a ansiedade causada pela descoberta da doença pode favorecer o ganho de peso, principalmente no início, quando os hormônios ainda estão desregulados.
6) Já nos casos de hipertireoidismo, normalmente há um emagrecimento repentino, taquicardia, problemas com o sono, agitação e irritabilidade, entre outros sintomas.
7) Pessoas com mais de 35 anos, principalmente as mulheres, têm mais chances de desenvolver doenças tireoidianas.
8) Quando há suspeita de alteração na tireoide, procure um endocrinologista, que pedirá exames complementares e ministrará o tratamento adequado em caso de confirmação do diagnóstico.
9) O autoexame também pode auxiliar na detecção de nódulos: em frente ao espelho, tome goles de água com a cabeça inclinada para trás; abaixo da região do pomo de adão é possível visualizar a tireoide subir ao engolir e descer no relaxamento, o que possibilita identificar eventuais ressaltos ou nódulos.
10) Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), estima-se que 60% da população brasileira terá algum nódulo na tireoide, mas isso não significa que seja maligno, afinal, penas 5% são cancerígenos.