Marque já a sua consulta (21) 3268-3492 (21) 99056-8583 Marque sua consulta

Efeito sanfona: entenda o que é e por que ele acontece


Efeito sanfona: entenda o que é e por que ele acontece
Quem já fez dieta e conseguiu perder aqueles indesejáveis quilos a mais sabe que, junto com a satisfação de ter emagrecido, vem uma sensação de que o corpo está sempre tentando voltar à forma de antes. E ele está. As razões para explicar o eterno engorda e emagrece sem conseguir manter o peso adequado por muito tempo – o famoso efeito sanfona – são físicas e psicológicas. Entenda agora por que ele acontece.
Após a diminuição de peso o corpo busca se “defender” da perda de gordura – o que para ele representa um risco à sua sobrevivência, uma situação de escassez de alimentos. Para preservar seus estoques de gordura, o organismo reduz o metabolismo numa tentativa de economizar energia, o que favorece o ganho de peso. Além disso, há outro fator que contribui para a desaceleração do metabolismo: a diminuição da massa muscular, comum em processos de perda de peso. Quando emagrecemos, não eliminamos apenas gordura. Os músculos também diminuem, especialmente se a dieta não é associada à prática de exercícios físicos regulares, e essa redução de músculos faz o corpo gastar calorias mais devagar, facilitando o ganho de peso.
Outra causa para o efeito sanfona, como explica o dr. Ronei Gustavo Vargas, endocrinologista da Medcenter, é hormonal. A diminuição das reservas de gordura causada pelo emagrecimento (lembre-se de que seu corpo vê a gordura corporal como uma espécie de “poupança de energia” e, portanto, ele não quer perdê-la) indica, para o sistema endócrino, que ele deve começar a produzir hormônios para “proteger” o organismo. Há, então, a elevação da grelina, “hormônio da fome”, enquanto a sensibilidade à leptina, o “hormônio da saciedade”, diminui, ou seja, depois de perder peso, seu organismo vai fazer você querer comer mais.
Juntamente com as causas fisiológicas para o efeito sanfona existem também os fatores psicológicos, e eles são especialmente pronunciados depois de dietas muito restritivas – é aquela vontade enorme de comer pizza, pão ou chocolate depois de dias ou semanas sem ter ingerido nenhum desses alimentos. Por ser difícil manter uma alimentação muito restrita por longos períodos, em algum momento, esses alimentos acabam retornando à dieta, e com o metabolismo mais lento e um apetite feroz, é mais fácil recuperar o peso perdido.
Pode parecer desanimador, mas a boa notícia é que com a ajuda profissional adequada é possível driblar essa predisposição do organismo de recuperar os quilos perdidos. Um estilo de vida saudável e equilibrado, a prática de exercícios físicos e uma alimentação balanceada – elaborada com base em orientação médica ou de um nutricionista – são os pontos de partida para superar a tendência de o corpo sabotar o emagrecimento.